RELAÇÃO DESIGUALDADE-RENDA NO BRASIL E EM SUAS REGIÕES: HIPÓTESES DA CURVA DE KUZNETS E DO “N” PARA INDICADORES MUNICIPAIS EM MÚLTIPLAS DIMENSÕES

Luis Gustavo Nascimento de Paula, Carlos César Santejo Saiani

Resumo


Pobreza e desigualdade são fenômenos multidimensionais. Considerando esse argumento e as informações dos municípios brasileiros de 2000 e 2010, os objetivos do presente estudo foram: avaliar a existência de desigualdades em outras dimensões, além da renda, e investigar suas respectivas dinâmicas em função do nível de renda per capita. Para tanto, foram calculados indicadores municipais de desigualdade em “múltiplas dimensões” e testadas três hipóteses: i) desigualdades nas dimensões trabalho, educação, saúde, habitação e mobilidade urbana seriam correlacionadas à distribuição da renda, mas esta não seria o único determinante; ii) as relações entre os indicadores de desigualdade e o crescimento econômico teriam o formato de um “U-invertido”, como advoga a hipótese da Curva de Kuznets (CK); ou iii) o formato próximo a um “N”, conforme defendem trabalhos mais recentes que contestam a CK. As hipóteses foram testadas por meio de análises descritivas e, principalmente, estimações econométricas em painel e cross-section. Os resultados, no geral, corroboraram a primeira e a terceira hipóteses, sinalizando que o crescimento econômico nem sempre é equitativo e que a desigualdade é um fenômeno multidimensional.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN (impresso): 1981-3953

ISSN (eletrônico): 2447-7990


A Revista Brasileira de Estudos Regionais e Urbanos (RBERU) encontra-se em processo de ajuste para atender todos os requisitos da Scielo para indexação.

 

Indexadores & Repositórios:

        

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia