ANÁLISE DAS MICRORREGIÕES NORDESTINAS COM SINAIS POTENCIAIS DE AGLOMERAÇÕES PRODUTIVAS

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Renata de Melo Caldas
Joao Policarpo Rodrigues Lima

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo analisar algumas mudanças que
ocorreram no Nordeste a partir da abertura econômica, na década de 1990, sob o enfoque espacial e setorial, a fim de definir as regiões que apresentam possíveis sinais de clusterização. Mudanças no papel do Estado, estabilização monetária e medidas de desregulamentação implantadas no país foram algumas das características do período em análise. O trabalho tem como referencial dois indicadores: o quociente locacional (QL) e o Índice Setorial de Escolaridade (IRH), cujas informações foram obtidas a partir da base de dados da Relação Anual de Informações Sociais – RAIS. Por meio desses cálculos foi possível identificar e mapear as áreas que apresentam maior grau de dinamismo na indústria de transformação e extrativa mineral, no período referente a 1995 e 2005. A partir daí pode-se fazer uma análise mais detalhada das aglomerações produtivas, apontar as regiões que já apresentam essas características, bem como indicar as possíveis tendências comportamentais
dessas regiões.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
CALDAS, R. DE M.; LIMA, J. P. R. ANÁLISE DAS MICRORREGIÕES NORDESTINAS COM SINAIS POTENCIAIS DE AGLOMERAÇÕES PRODUTIVAS. Revista Brasileira de Estudos Regionais e Urbanos, v. 2, n. 2, 6 fev. 2015.
Seção
Artigos