DIFERENCIAIS DE SALÁRIOS NA REGIÃO NORDESTE: UMA ANÁLISE SEGUNDO CONDIÇÃO DE MIGRAÇÃO E NÍVEL EDUCACIONAL

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Maria Adreciana Silva de Aguiar
Daniel Tomaz de Sousa
Priscila Silva Rodrigues

Resumo

Este artigo analisa os diferenciais de rendimentos entre as condições de migração por nível educacional na região Nordeste. A partir dos dados da PNAD de 2014, foi empregado o método proposto por Lee (1983) nas equações salariais para corrigir o potencial problema de viés de seleção na amostra. Para avaliar os diferenciais salariais entre migrantes e não migrantes e entre as categorias de migrantes, utilizou-se a decomposição proposta por Oaxaca (1973) e Blinder (1973). Os achados sugerem que, para cada faixa de ensino concluída, gera-se um incremento salarial, existindo um maior retorno em educação alcançado principalmente pelos remigrados. E os resultados das decomposições salariais indicam que os migrantes apresentam maiores rendimentos quando comparados aos não migrantes. Ademais, também foi constatado que ter no mínimo um diploma de graduação aumenta a diferença salarial dos migrantes frente aos que decidem por não migrar e entre os grupos de migrantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
SILVA DE AGUIAR, M. A.; TOMAZ DE SOUSA, D.; SILVA RODRIGUES, P. DIFERENCIAIS DE SALÁRIOS NA REGIÃO NORDESTE: UMA ANÁLISE SEGUNDO CONDIÇÃO DE MIGRAÇÃO E NÍVEL EDUCACIONAL. Revista Brasileira de Estudos Regionais e Urbanos, v. 12, n. 4, p. 436-452, 2 mar. 2019.
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Maria Adreciana Silva de Aguiar, Universidade Federal do Ceará

Doutoranda em Economia pela Universidade Federal do Ceará (CAEN/UFC)

Daniel Tomaz de Sousa, Universidade Federal da Paraíba

Doutorando em Economia pela Universidade Federal da Paraíba (PPGE-UFPB)

Priscila Silva Rodrigues, Universidade Federal do Ceará

Doutoranda em Economia pela Universidade Federal do Ceará (CAEN/UFC)