Análise espacial das aglomerações da indústria de transformação nos segmentos moderno e tradicional no estado do Paraná

Main Article Content

Andréia Ferreira Prestes
Fernanda Mendes Bezerra
Talita Egevardt de Castro

Resumo

A instalação de uma indústria e a formação de aglomerados são fatores importantes para a dinâmica econômica e a geração de riquezas, contribuindo para o desenvolvimento da região e do seu envoltório. Cabe destacar que o nível tecnológico das indústrias pode influenciar nos resultados gerados. Por esse motivo, esta pesquisa tem como objetivo analisar espacialmente as causas da aglomeração da indústria de transformação (IT), em especial entre os segmentos moderno e tradicional, para os municípios do estado do Paraná no ano de 2017. Para isso, foram divididos os setores da IT em dois segmentos: tradicional (baixa e média baixa tecnologia) e moderno (média alta e alta tecnologia). Posteriormente, mensurou-se o Índice de Concentração Normalizado (ICN) e estimou-se o modelo de regressão mais adequado, isto é, com ou sem efeito espacial. Os resultados demonstraram que o segmento tradicional possui impacto espacial influenciando no município e nos vizinhos contíguos, diferentemente do segmento moderno que não apresentou esse efeito. Além disso, os fatores que influenciam na decisão locacional são, na grande maioria, diferentes para cada segmento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
PRESTES, A. F.; BEZERRA, F. M.; CASTRO, T. E. DE. Análise espacial das aglomerações da indústria de transformação nos segmentos moderno e tradicional no estado do Paraná. Revista Brasileira de Estudos Regionais e Urbanos, v. 13, n. 3, p. 422-442, 5 mar. 2020.
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Andréia Ferreira Prestes, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Mestre em Gestão e Desenvolvimento Regional pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE) – Campus de Francisco Beltrão

Fernanda Mendes Bezerra, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Professora do curso de Ciências Econômicas da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE) – Campus de Francisco Beltrão.

Talita Egevardt de Castro, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Professora do curso de Ciências Econômicas da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE) – Campus de Francisco Beltrão