INTENSIDADE TECNOLÓGICA DAS TRANSAÇÕES EXTERNAS BRASILEIRAS (2005-2015): UMA ANÁLISE REGIONAL

Francisco Laercio Pereira Braga, Maria Cristina Pereira de Melo

Resumo


O artigo analisa a trajetória do comércio exterior brasileiro em perspectiva regional, notadamente o desempenho das regiões Sudeste, Sul e Nordeste, sob a ótica dos grupos de produtos segundo intensidade tecnológica no período de 2005 e 2015. Para tanto, utilizaram-se indicadores de comércio exterior, tais como saldo da balança comercial, corrente de comércio, Market-Share, grau de abertura, taxa de cobertura relativa das importações, vantagem comparativa revelada e coeficiente de especialização dos grupos de produtos estratificados segundo conteúdo tecnológico. Os resultados mostram que a região Sudeste possui estrutura produtiva mais diversificada que as demais, porém suas exportações estão centradas, principalmente, nos produtos de baixa e média baixa intensidade tecnológica. Notou-se, também, concentração das exportações sulistas em produtos pertencentes ao grupo de baixa intensidade tecnológica. Na região Nordeste, percebeu-se que as vendas dos produtos pertencentes aos grupos de baixa e média alta intensidades elevaram-se no período conquistando fatias expressivas do mercado externo regional, devido, principalmente, aos aportes de investimentos e à implantação de programas de incentivo à produção do setor industrial dos principais estados exportadores. A forte concentração das vendas externas regionais nos setores de menor conteúdo tecnológico reflete a realidade brasileira na medida em que a maior taxa de inovação empresarial está associada a empresas pertencentes a esses setores.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1981-3953 & 2447-7990


A Revista Brasileira de Estudos Regionais e Urbanos (RBERU) encontra-se em processo de ajuste para atender todos os requisitos da Scielo para indexação.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia