CUSTO DE OPORTUNIDADE DA PRESERVAÇÃO AMBIENTAL: O CASO DA AMAZÔNIA LEGAL BRASILEIRA

André Luis Squarize Chagas, Luíza Cardoso de Andrade

Resumo


Este trabalho estimou o custo de oportunidade de preservar a floresta dos agentes econômicos da Amazônia Legal Brasileira. Tal custo é representado pelo fluxo de renda de que esses agentes abrem mão ao não usar a terra para a produção agropecuária. Parte-se da hipótese de que essa região se encontra, atualmente, em um estágio de produção similar ao da região Centro-Oeste na década de 1970 e de que os produtores formam suas expectativas quanto à rentabilidade futura da produção a partir da performance do Centro-Oeste nos últimos anos. Por meio de análise fatorial, estimam-se os fatores de produção terra, capital e trabalho de cada região, com base nos censos agropecuários. A rentabilidade é estimada empregando-se fronteiras estocásticas. Testes de robustez confirmam que a hipótese de funções com retornos constantes de escala é satisfatória. Os resultados mostram que, supondo rentabilidade máxima da produção, os produtores na região amazônica esperam um incremento anual médio na renda de no máximo 12% a.a., e que é necessária uma taxa de desconto intertemporal acima de 7% para tornar a atividade economicamente não atrativa.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1981-3953 & 2447-7990


A Revista Brasileira de Estudos Regionais e Urbanos (RBERU) encontra-se em processo de ajuste para atender todos os requisitos da Scielo para indexação.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia