Evolução da Produtividade do Trabalho e da Terra na Cafeicultura Baiana: Uma Análise Comparativa entre os Anos Censitários 2006 e 2017

Main Article Content

Maíra Ferraz de Oliveira Silva
Mônica de Moura Pires
Fernando Salgueiro Perobelli
Andréa da Silva Gomes

Resumo

Este artigo apresenta a evolução da produtividade do trabalho e da terra para a cafeicultura baiana e identifica os fatores relevantes para o seu crescimento. Os dados, em nível de municípios, foram extraídos dos Censos Agropecuários dos anos de 2006 e 2017 do IBGE, para as variáveis: Valor bruto da produção de café, Pessoas ocupadas na cafeicultura, Superfície cultivada com café e Superfície agrícola municipal. Os resultados apontam redução do pessoal ocupado na atividade entre 2006 e 2017, maior concentração da renda per capita gerada nos municípios produtores da região do Cerrado, tendo o Planalto e o Atlântico como as áreas com cultivos de café mais relevantes na Bahia. O crescimento da produção no Cerrado ocorre em função de fatores intensivos em capital e nas outras regiões pelo uso intensivo do fator terra. Verifica-se uma heterogeneidade na produtividade da cafeicultura baiana e condicionantes distintos entre 2006 e 2017.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
FERRAZ DE OLIVEIRA SILVA, M.; DE MOURA PIRES, M.; SALGUEIRO PEROBELLI, F.; DA SILVA GOMES, A. Evolução da Produtividade do Trabalho e da Terra na Cafeicultura Baiana: Uma Análise Comparativa entre os Anos Censitários 2006 e 2017. Revista Brasileira de Estudos Regionais e Urbanos, v. 14, n. 1, p. 54-78, 20 fev. 2021.
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Maíra Ferraz de Oliveira Silva, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/Departamento de Ciências Sociais Aplicadas/Curso de Ciências Econômicas

Possui graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (2006), mestrado em Economia Regional e Políticas Públicas pela Universidade Estadual de Santa Cruz (2016) e doutorado (em andamento) em Desenvolvimento e Meio Ambiente Programas de Pós-Graduação PRODEMA/UESC. Professora Assistente da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, vinculada ao Departamento de Ciências Sociais Aplicadas.

Mônica de Moura Pires, Universidade Estadual de Santa Cruz/Departamento de Ciências Econômicas/Programa de Pós-Graduação em Economia Regional e Políticas Públicas e Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente

DS em Economia Rural pela UFV, Professora Plena/Titular da Universidade Estadual de Santa Cruz, vinculada ao Departamento de Ciências Econômicas. Atua nos Programas de Pós-Graduação PRODEMA e PERPP

Fernando Salgueiro Perobelli, Universidade Federal de Juiz de Fora/ Programa de Pós-graduação em Economia

Possui graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Juiz de Fora (1992), mestrado em Economia pela Universidade Federal Fluminense (1995) e doutorado em Economia pela Universidade de São Paulo (2004). Professor Associado IV do Departamento de Economia da Universidade Federal de Juiz de Fora e Pesquisador de Produtividade CNPq.

Andréa da Silva Gomes, Universidade Estadual de Santa Cruz/Departamento de Ciências Econômicas/Programa de Pós-Graduação em Economia Regional e Políticas Públicas e Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente

Possui graduação em Economia pela Universidade Santa Úrsula (1995), mestrado em Economia pela Universidade Federal da Bahia (1998) e doutorado em Desenvolvimento Rural pelo Instituto Nacional Agronômico Paris-Grignon, França (diploma reconhecido pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul). Participou como membro da missão técnica da Agência Brasileira de Cooperação para o desenvolvimento da agricultura e segurança alimentar do Haiti. Revisora no ano de 2012 da prova do ENADE para o curso de economia. Atuou como Vice-diretora do Departamento de Ciências Econômicas (2011-2014) e vice coordenadora do Mestrado em Economia Regional e Políticas Públicas (MERPP/UESC) no período 2013 e 2014. Atualmente é professora titular do Departamento de Ciências Econômicas da Universidade Estadual de Santa Cruz, do Mestrado em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente (PRODEMA/UESC) e do Mestrado em Economia Regional e Políticas Públicas (MERPP/UESC). Exerceu, de novembro de 2014 a outubro de 2016, a função de coordenadora do MERPP/UESC. Leciona as disciplinas de Microeconomia, Economia Rural e Economia Regional. Linhas de pesquisa: desenvolvimento rural, economia regional, economia dos recursos naturais e meio ambiente.