Austeridade Fiscal, Impactos Regionais e Ganhos de Produtividade: Projeções para a Economia Brasileira

Main Article Content

Guilherme Silva Cardoso
Thiago Cavalcante Simonato
Débora Freire Cardoso
Edson Paulo Domingues

Resumo

Este artigo tem como objetivo projetar qual deve ser a variação da produtividade do trabalho, em resposta à atual agenda de reformas estruturais no Brasil, para compensar os impactos contracionistas da austeridade fiscal, considerando a heterogeneidade regional do país. Para isso, utiliza-se um modelo de equilíbrio geral inter-regional dinâmico para 27 Unidades da Federação brasileiras, permitindo uma análise bottom-up. Os principais resultados mostram que o aumento da produtividade do trabalho necessário para atenuar os efeitos contracionistas da consolidação fiscal varia consideravelmente entre as Unidades da Federação, sendo relativamente mais oneroso para a região Nordeste. Os resultados macroeconômicos também seguem o mesmo padrão de heterogeneidade regional. O aumento da produtividade do trabalho nos estados mais afetados pelos impactos contracionistas da austeridade é pouco factível devido à baixa perspectiva de crescimento do consumo das famílias, do investimento e ao alto desemprego em economias cuja composição setorial é pouco beneficiada com a agenda de austeridade e reformas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
SILVA CARDOSO, G.; CAVALCANTE SIMONATO, T.; FREIRE CARDOSO, D.; PAULO DOMINGUES, E. Austeridade Fiscal, Impactos Regionais e Ganhos de Produtividade: Projeções para a Economia Brasileira. Revista Brasileira de Estudos Regionais e Urbanos, v. 15, n. 1, 21 out. 2021.
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Guilherme Silva Cardoso, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutorando em Economia no Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional (Cedeplar) da Universidade Federal de Minas Gerais

Thiago Cavalcante Simonato, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutorando em Economia no Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional (Cedeplar) da Universidade Federal de Minas Gerais

Débora Freire Cardoso, Universidade Federal de Minas Gerais

Professora Adjunta do Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional (Cedeplar) e Faculdade de Ciências Econômicas (Face), Universidade Federal de Minas Gerais

Edson Paulo Domingues, Universidade Federal de Minas Gerais

Professor Titular do Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional (Cedeplar) e Faculdade de Ciências Econômicas (Face), Universidade Federal de Minas Gerais