Determinantes da Variação do Emprego dos Jovens Brasileiros: Uma Análise de Decomposição Estrutural para 2002–2015

Autores

  • Davi Winder Catelan Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Econômico, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, Brasil https://orcid.org/0000-0002-8388-5240
  • Kênia Barreiro de Souza Departamento de Economia e Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Econômico, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, Brasil https://orcid.org/0000-0002-6306-2044
  • Vinicius de Almeida Vale Departamento de Economia e Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Econômico, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, Brasil https://orcid.org/0000-0001-5869-9860

DOI:

https://doi.org/10.54766/rberu.v15i2.791

Palavras-chave:

Jovens, Mercado de trabalho, Análise de Decomposição Estrutural, Insumo-produto

Resumo

Entre 2002 e 2015, o número de jovens ocupados diminuiu 19,98% enquanto o número de adultos ocupados aumentou 34,18%. O descompasso entre essas duas taxas está relacionado a um conjunto de fatores como o ciclo econômico, níveis de qualificação e decisões individuais de participação no mercado de trabalho. Além disso, variações na composição da demanda final e na utilização setorial de trabalho podem explicar a queda no emprego dos jovens, ponto vagamente explorado na literatura. Nesse contexto, o presente artigo examina as causas da variação do emprego dos jovens brasileiros utilizando uma Análise de Decomposição Estrutural. Para tanto, foram utilizadas as matrizes de insumo-produto estimadas a partir dos dados das Contas Nacionais e microdados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios para o período 2002-2015. Os resultados mostraram que os principais fatores explicativos da redução ocupacional de jovens no período foram a queda na participação relativa dos jovens, o aumento na produtividade geral do trabalho e a redução no grau de utilização da mão de obra juvenil. Por outro lado, os componentes da demanda final contribuíram positivamente para a variação do emprego desse grupo. O avanço no consumo das famílias foi responsável pela maior parte da criação de empregos para os jovens, seguido, em importância, pelo investimento, exportações e consumo do governo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Davi Winder Catelan, Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Econômico, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, Brasil

Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Econômico, Universidade Federal do Paraná

Kênia Barreiro de Souza, Departamento de Economia e Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Econômico, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, Brasil

Departamento de Economia e Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Econômico, Universidade Federal do Paraná

Vinicius de Almeida Vale, Departamento de Economia e Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Econômico, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, Brasil

Departamento de Economia e Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Econômico, Universidade Federal do Paraná

Downloads

Publicado

2022-02-25

Como Citar

CATELAN, D. W. .; SOUZA, K. B. de .; VALE, V. de A. Determinantes da Variação do Emprego dos Jovens Brasileiros: Uma Análise de Decomposição Estrutural para 2002–2015. Revista Brasileira de Estudos Regionais e Urbanos, [S. l.], v. 15, n. 2, p. 310–344, 2022. DOI: 10.54766/rberu.v15i2.791. Disponível em: https://revistaaber.org.br/rberu/article/view/791. Acesso em: 3 jul. 2022.
Share |