Desigualdades Regionais e Infraestrutura: Uma Análise de Curto e Longo Prazo da UTE Porto de Sergipe

Autores

DOI:

https://doi.org/10.54766/rberu.v15i3.763

Palavras-chave:

Investimento em infraestrutura, Equilíbrio Geral Computável, Desigualdades regionais

Resumo

Este trabalho objetiva avaliar os impactos regionais e setoriais de curto e longo-prazo da construção e operação da Usina Termelétrica Porto de Sergipe. Utiliza-se um modelo dinâmico e inter-regional de Equilíbrio Geral Computável, calibrado para 28 regiões e 51 setores. Em termos metodológicos, a inovação deste trabalho consiste em desagregar Sergipe em duas regiões no modelo: Região Metropolitana de Aracaju (RMA) e Resto de Sergipe (RS). Os resultados apontam para um relevante impacto na RMA, com baixo vazamento para o RS e as outras unidades federativas. Os setores com maior impacto na RMA estariam relacionados à dinâmica de construção e operação de um investimento estruturante, considerando a demanda por insumos e serviços nestas fases, a exemplo dos Serviços de manutenção e reparação, Serviços prestados às empresas, Cimento, entre outros. Estima-se que o PIB real da RMA cresceria acima do PIB do cenário de referência numa magnitude de 6,55% até 2030.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2022-09-08

Como Citar

PORTUGAL VIEIRA, O. H.; RIBEIRO, L. C. de S.; DE SOUZA, K. B. Desigualdades Regionais e Infraestrutura: Uma Análise de Curto e Longo Prazo da UTE Porto de Sergipe. Revista Brasileira de Estudos Regionais e Urbanos, [S. l.], v. 15, n. 3, p. 440–467, 2022. DOI: 10.54766/rberu.v15i3.763. Disponível em: https://revistaaber.org.br/rberu/article/view/763. Acesso em: 6 out. 2022.
Share |