ADENSAMENTO URBANO COMO CONDICIONANTE DA MOBILIDADE: O CASO DA REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE

Marina Rogério de Melo Barbosa, Raul da Mota Silveira Neto

Resumo


A Região Metropolitana do Recife (RMR) apresentou a maior elevação do tempo de commuting entre todas as demais regiões metropolitanas do Brasil entre 2003 e 2013, período de forte aumento na sua densidade urbana. O presente trabalho fornece evidências a respeito da influência do adensamento urbano sobre o tempo de commuting na referida Região Metropolitana, através do estudo do tempo de deslocamento casa-trabalho dos empregados. Os resultados são obtidos usando modelos de econometria espacial aplicados aos dados do Censo Demográfico do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) para as Áreas de Ponderação. São considerados o Modelo Espacial de Durbin (Spatial Durbin Model – SDM) e o Modelo de Erro Espacial (Spatial Error Model - SEM). A principal evidência indica que a densidade local tem uma influência positiva e significante no tempo de commuting das Áreas de Ponderação da RMR, resultado consistente com a presença de externalidades negativas derivadas da congestão no uso do espaço público nessas localidades. Tal resultado é, além disso, robusto e está sempre presente mesmo com a consideração da influência de variáveis tradicionalmente associadas ao tempo de commuting nos centros urbanos, como, por exemplo, a renda e a distância ao Centro.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1981-3953 & 2447-7990


A Revista Brasileira de Estudos Regionais e Urbanos (RBERU) encontra-se em processo de ajuste para atender todos os requisitos da Scielo para indexação.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia