CUSTO DE VIDA, AMENIDADES E SALÁRIOS NAS REGIÕES METROPOLITANAS BRASILEIRAS

Maria Cristina Galvão, Alexandre Nunes Almeida, Humberto Francisco Silva Spolador, Carlos Roberto Azzoni

Resumo


Este artigo analisou a relação entre o custo de vida e os salários de onze regiões metropolitanas brasileiras, tendo como base o modelo de Winters (2009) e a hipótese de compensação plena, segundo a qual aumentos nos custos de vida estariam associados a aumentos de mesma magnitude nos salários dos trabalhadores. Os resultados indicam que, para aumentos dos custos de transporte, habitação, saúde e despesas pessoais, há uma compensação de salários superior à participação de cada um desses custos na renda das famílias. Para os custos com educação e alimentação, não foi possível estabelecer relações conclusivas, já que as estimativas não foram estatisticamente significantes. As conclusões indicam que salários mais altos mais do que compensam os aumentos no custo de vida, após controlarem-se pelas amenidades. Assim, pessoas que vivem em cidades com elevado custo de habitação, saúde e transporte obtêm compensação de salários significativamente superior à participação média desses custos nos gastos da família.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN (impresso): 1981-3953

ISSN (eletrônico): 2447-7990


A Revista Brasileira de Estudos Regionais e Urbanos (RBERU) encontra-se em processo de ajuste para atender todos os requisitos da Scielo para indexação.

 

Indexadores & Repositórios:

        

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia